quarta-feira, 4 de Maio de 2011

sábado, 1 de Maio de 2010

E-Folio B

FICHA de LEITURA

Titulo da Obra: Factores de risco e Factores de protecção ao desenvolvimento infantil

Autor: Carla Camarinha Edição N.º 1 Editora: Revista Psicologia Hoje

Local: Lisboa Data de publicação: 27-04-2010

Classificação da Obra: Monografia


Este artigo vai focar um tema do conhecimento de todos nós, mas o qual, derivado à correria do dia-a-dia de cada um, não damos a devida atenção – factores de risco e factores de protecção ao desenvolvimento infantil, destacando a importância dos profissionais e família que actuam junto à infância e adolescência de forma a exercerem uma prática mais efectiva sobre a criança.

Destaca-se a vasta literatura existente sobre os factores de risco, porém, os estudos do desenvolvimento infantil necessitam incluir os factores de protecção, com a mesma ênfase dada aos factores de risco, visando promover a resiliência.
Normalmente deixamos os nossos filhos na escola, creches e só os vamos buscar mais à noitinha, logo os profissionais que acompanham as nossas crianças devem estar aptos, ou seja habilitados para verificarem problemas do foro físico e psicológico.

Os professores, a escola, os pais devem estar atentos a qualquer atitude, comportamento ou influências na criança. Estes comportamentos podem trazer problemas a vários níveis – individuais, familiar ou sociocultural. Temos que ter em atenção que tais problemas acontecem a qualquer pessoa independentemente do estado social, cultural, económico ou de região de residência.
Os factores de risco segundo Reppold, Pacheco, Bardagi e Hutz (2002) são variáveis ao acontecimento de resultados negativos ou menos favoráveis. As crianças, de um modo geral, são afectadas por determinados factores, por determinadas variáveis. Essas variáveis são chamadas de factores de risco.
“Uma criança é considerada em situação de risco quando seu desenvolvimento não ocorre de acordo com o esperado para sua faixa etária de acordo com os parâmetros de sua cultura. Podendo este ser de aspecto físico (doenças genéticas ou adquiridas, prematuridade, problemas de nutrição, entre outros), social (exposição à ambiente violento, drogas) ou psicológico (efeitos de abuso, negligência ou exploração) ” (http://www.webartigos.com/articles/30130/1/A-INFLUENCIA-DA-FAMILIA-NO-DESENVOLVIMENTO-EMOCIONAL-DE-CRIANCAS-SOB-SITUACAO-DE-RISCO-UM-OLHAR-DA-TERAPIA-OCUPACIONAL/pagina1.html).
Esses factores de risco levam ao desencadear de desordem emocional e a nível comportamental na criança. Por outro lado, os factores de protecção também modificam a resposta pessoal, ou seja a criança poderá ter um estágio no seu desenvolvimento, nas suas atitudes temperamentais. Fenómenos do mundo contemporâneo, como a violência, maus-tratos, ambientes degradados, vai criar uma criança mais vulnerável, deixando marcas irreversíveis na sua vida tanto a nível físico como mental. Barnett (1997) diz que uma criança maltratada, que sofre abusos e negligências, irá sofrer problemas profundos no seu interior, deixando sequelas que se vão sentir no seu futuro.
Factores de risco são todas as modalidades de violência como física, psicológica, domestica.

A violência física envolve a violência corporal como espancamento, fracturas, etc. Esta violência normalmente leva a probabilidades de crimes violentos no futuro. Este tipo de violência é a maior causa de morte na infância (Azevedo&Guerra, 1995). Os pais que tratam mal os seus filhos normalmente também tiveram problemas na sua infância. Queremos isso para os nossos filhos?

A negligência também é um factor que influência o desenvolvimento sadio da criança, algo que necessita, como a alimentação, segurança, etc.

Um outro factor também importante no desenvolvimento da criança é a violência psicológica. A criança pode passar por momentos de humilhação, ameaças, etc. A criança sujeita a tais pressões pode vir a ter pensamentos intra pessoais, a saúde emocional ser afectada, terá um baixo grau nas habilidades sociais, baixa aprendizagem. Uma criança que vive num lar violento também está exposta a factores de risco no seu desenvolvimento físico e mental (Sinclair 1985). Segundo Sinclair 1985 as crianças nestes termos precisam de protecção.

A violência sexual também é um factor importante no desenvolvimento da criança, por vezes esta é usada com a finalidade de obtenção de prazer sexual. No que se refere a comportamentos de risco a associação americana de psicologia aponta a gravidez, o fumo, álcool, violência sexual, etc., que são mediados pela própria família.

A Associação Americana de Psicologia destaca a resiliência, esta tem a ver com a capacidade de um indivíduo para ultrapassar os traumatismos e construir-se apesar das feridas.
A família é o principal responsável pela criança na sociedade e na sua socialização, isto porque a família perante os seus exemplos e ensinamentos pode criar um factor de risco ou de protecção na criança (Reppold e tal., 2002).
O primeiro contacto com o exterior é a família, logo um ambiente saudável e positivo no seio familiar vai resultar comportamentos saudáveis na criança (Kumpfer e Alvarado, 2003). A família tem influência no desenvolvimento da criança a nível de vínculos afectivos, auto estima, etc.
A criança dentro do seio familiar não é só ouvinte mas um interveniente participativo. Podemos também falar do factor de protecção o vínculo afectivo, papel que cabe aos avós ou irmãos. Estes dão segurança e suporte à criança.



- “Citações”

- ABREU, S.R. Crianças e adolescentes em situação de risco no Brasil. Ver. Bras. Psiquiatr. vol.24. n.1. São Paulo, mar., 2002.

-http://www.dianova.pt/index.php?option=com_content&task=view&id=46&Itemid=72

- http://oqueeutenho.uol.com.br/portal/2010/02/11/suicidio-e-tabu-especialista-explica-os-principais-fatores-de-risco-e-qual-a-melhor-forma-de-enfrentar-esse-problema/

- http://www.webartigos.com/articles/30130/1/A-INFLUENCIA-DA-FAMILIA-NO-DESENVOLVIMENTO-EMOCIONAL-DE-CRIANCAS-SOB-SITUACAO-DE-RISCO-UM-OLHAR-DA-TERAPIA-OCUPACIONAL/pagina1.html

- http://www.scielo.br/pdf/pe/v10n2/v10n2a07.pdf



- Comentários pessoais:

O desenvolvimento nos seres vivos é um processo dinâmico e complexo que ocorre num conjunto de transformações quantitativas e qualitativas desde o nascimento e ao longo de toda a sua vida, permitindo este agir e reagir face ao meio.
A família é muito importante neste processo, na medida em que o primeiro contacto da criança com o meio exterior é esta mesma. Durante o desenvolvimento a família assim como a instituição educacionais deverão agir e identificar potenciais problemas nas crianças. Nos tempos que correm as nossas crianças correm riscos. A família sob situação de risco social é um factor importante que pode alterar o desenvolvimento da criança. Em famílias com problemas sociais, com baixos rendimentos, com pouca escolaridade, os maus-tratos às crianças acontecem com mais frequência.
Para minimizar tais problemas o regime social tem que estar atento a tais situações e aponta-los quando necessário para salvaguardar o bem-estar da criança.

As nossas crianças de hoje – são o futuro de amanhã!!!

sexta-feira, 26 de Março de 2010

Psicologia do desenvolvimento

A Psicologia do desenvolvimento, também conhecida como desenvolvimento humano, é o estudo científico das mudanças progressivas psicológicos que ocorrem nos seres humanos como eles idade. Originalmente em causa a lactentes e crianças, o campo tem expandido para incluir adolescência e, mais recentemente, adultos desenvolvimento, envelhecimento, e toda a vida. Este campo examina mudanças através de uma ampla gama de temas, incluindo habilidades motoras e de outros processos psico-fisiológica, resolução de problemas habilidades de compreensão conceptual, a linguagem aquisição, moral compreensão, de identidade e de formação.

Desenvolvimentista psicólogos investigar questões fundamentais, tais como saber se as crianças são qualitativamente diferentes dos adultos ou simplesmente falta a experiência que basear-se em adultos. Duas questões importantes que dizem respeito à natureza do desenvolvimento. Uma delas diz respeito quer desenvolvimento ocorre através da acumulação gradual de conhecimento ou por turnos a partir de uma fase de reflexão para o outro. O outro diz respeito a saber se as crianças nascem com conhecimento inato ou valor as coisas através da experiência. Uma terceira área significativa da investigação analisa contextos sociais que afectam o desenvolvimento.

Desenvolvimentista psicologia aplicada informa vários domínios, incluindo: psicologia educacional, psicopatologia infantil e psicologia forense desenvolvimentista. Desenvolvimentista psicologia complementa vários outros campos de investigação fundamental em psicologia incluindo psicologia social, psicologia cognitiva, desenvolvimento cognitivo, ecológicos e de psicologia psicologia comparativa.


http://redepsicologia.com/psicologia-do-desenvolvimento-infantil-da-crianca

E-Folio A

E-Fólio A


Resumo pagina 34-42
O desenvolvimento humano está associado a um contínuo de evolução, no qual caminhamos no decorrer da nossa vida. Neste processo de desenvolvimento surge a noção de estádio, estando este relacionado com a evolução humana. O meio ambiente e a hereditariedade remontam a um papel importante na determinação do desenvolvimento, levando à criação de várias abordagens (tais como: maturacionista; interacionistas). Na tentativa de se explicar o desenvolvimento humano surgem teorias como a psicanalítica; behaviorista; cognitiva e humanista.
Pergunta 1
A psicologia do desenvolvimento tem como base de estudo o desenvolvimento humano desde o nascimento até à sua morte. O bebé humano quando nasce em comparação com a espécie animal precisa de um maior tempo ou período de desenvolvimento. A criança leva mais tempo a desenvolver-se, passando por várias fases complexas, de grande desenvolvimento quer física quer mental. Ao longo destas etapas vai-se traçando laços de vinculação, criando dependência das figuras que as rodeia, principalmente da sua mãe (figura de protecção, tanto física, mental, cognitiva e até mesmo emocional). Esta teoria criada por Bowlby e seus sucessores, tornam-se um laço fundamental para o bebé, funcionando como um motor essencial para a construção e satisfação das suas necessidades em termos de protecção e segurança. Estes primeiros vínculos são de estrema importância, tanto no desenvolvimento físico como no desenvolvimento psíquico. A criança ao sentir-se bem consigo própria vai ter um desenvolvimento saudável. Este é um período em que a criança aprende e fora do qual dificilmente adquiria. Os seres humanos diferenciam-se dos animais em alguns aspectos, pois um bebé humano depende sempre de outro para se desenvolver, ao contrário do reino animal, este precisa que lhe tragam o alimento. Se tal não acontece o bebé morre. Podemos dizer que o bebe humano é o ser mais prematuro do reino animal. O homem é um ser semiótico, este é intérprete e produtor de signos. A capacidade de significação do homem torna-o diferente do animal, pois este pressupõe a criação de signos, assim como o estabelecimento de relações de alta complexidade.

Pergunta 2
Este realizou um estudo sobre os descendentes de um soldado de guerra que tinha como nome Kallikak.
Henry Goddard concluiu que só dois dos cerca de 500 descendentes da “mulher de bem” tinham inteligência abaixo da média e como apenas 46 dos mais que 480 descendentes do caso com a empregada demente tinham inteligência normal. O factor genético aqui é determinante. Para Goddard a explicação era a hereditariedade, este defendia que a inteligência era herdada pelos pais através dos genes. Goddard em seu livro de 1920, disse: “Nossa tese é a que o principal determinante da conduta humana é um processo mental que nós chamamos de inteligência: esse processo é condicionado por um mecanismo nervoso que é inerente: que o grau de eficiência a ser alcançado pelo mecanismo nervoso e o consequente grau de inteligência ou nível mental de cada indivíduo é determinado pelo tipo de cromossomas que provêm da união das células germinativas: Isto é muito pouco afectado por qualquer influência, com excepção de sérios acidentes que possam destruir parte do mecanismo”.

Pergunta 3
Esta afirmação remonta à ideia que a criança quando nasce pode trazer um elevado grau de aptidão para algo, mas se não receber influências apropriadas, ou até mesmo estímulos para tal, irá perder esse potencial. Até cerca dos nove anos de idade essa aptidão encontra-se no estádio de desenvolvimento, ou seja se não for desperto, tais habilidades não serão desenvolvidas. Para Watson (pai da tese comportamentalista) um bebé não era mais que um pedaço de barro que a qualquer momento poderia ser moldado, trabalhado, pelas mãos de um artesão, como este quisesse (ladrão, juiz, etc.). “A estimulação do meio através do condicionamento podia levar a qualquer tipo de comportamento”. Watson disse que a base da psicologia é o comportamento.

Pergunta 4
Os argumentos que poderiam ser utilizados pelos defensores da hereditariedade poderiam passar por dizer que cada indivíduo, pertencente a qualquer espécie, é um documento vivo, transportando características, tanto físicas, como intelectuais. Ou seja ficará registado nos seus genes, como uma herança “genética” como que escondidas todas as características da raça humana. Logo podemos concluir que pela inadaptação deste, os pais do menino selvagem teriam um nível baixo de inteligência. Os opositores da tese da hereditariedade defendiam o meio ambiente podendo ter como base a ideia de que este menino nunca conheceu o mundo industrial e o mundo deste era a selva. Este encontrará na selva o seu mundo, nunca conhecerá outro, agora alterar o seu mundo seria como tira-lo da sua “mãe” que o abrigou desde sempre. Este menino faz parte da natureza, como tal não devemos alterar o que a natureza criou e que nunca rejeitou. Este menino tornou-se diferente pois existiu uma adaptação ao meio, à luz, aos sons, à temperatura, e diversas coisas que o diferenciam de outros meninos em relação à aprendizagem. Podemos dizer que a mente deste menino é como uma tábua aonde se escreveu a sua experiência naquilo que sempre conheceu – a selva, daí o nível de desenvolvimento para a sua idade ser inferior.

Pergunta 5
Na minha opinião tanto as características hereditárias e as do meio ambiente influenciam na determinação da personalidade. Não querendo dizer que um individuo esteja sempre ligado à sua formação genética, não sendo uma garantia. Pois a natureza afecta a criação e vice-versa. Para melhor percebermos os conceitos pedidos podemos colocar o exemplo de 2 gémeos (tem traços idênticos). Os gémeos separados e criados por famílias e ambientes diferentes teriam comportamentos diferentes. Numa família mais calma onde receba boas palavras, sorrisos, a criança gémea irá sorrir com mais frequência, está irá responder também com mais alegria. Ao contrário da outra criança, se estiver integrada numa família onde o ambiente é repressivo, a probabilidade de sorrir irá ser menor. Podemos concluir que todos nós estamos sujeitos a modificações no temperamento e carácter tendo como principal factor o meio envolvente, as experiências diárias. O meio tem influência sobre a criança desde a nascença. Desde o meio intra-uterino da sua mãe pode ser influenciado física ou mentalmente. Como ambas as características desempenham um papel sobre o indivíduo, ambas são importantes no seu desenvolvimento.

Pergunta 6
1 Item – Concordo; 2 item – Discordo; 3 item – Concordo; 4 item – Discordo Muito; 5 item – Discordo; 6 item – Concordo


Referências bibliográficas:
-
http://files.jplmpsic.webnode.com/200000039-3958b3a526/Hereditariedade%20Vs%20Meio.doc
-http://books.google.pt/books?id=65JPKfwP2UwC&pg=PA101&lpg=PA101&dq=DESENVOLVIMENTO+HUMANO+meio+ambiente+e+hereditariedade&source=bl&ots=NWRlJwvLXz&sig=Pi9FA1LVy4prwJOctmsaZ3LQ68M&hl=pt-PT&ei=uzqnS4vZHdD44AaDnO2KAw&sa=X&oi=book_result&ct=result&resnum=8&ved=0CCoQ6AEwBw#v=onepage&q=DESENVOLVIMENTO%20HUMANO%20meio%20ambiente%20e%20hereditariedade&f=false

-
http://estudopsicologia.blogspot.com/2007/11/educao-tema-1.html

-http://www.abemeducacaomusical.org.br/Masters/revista3/revista3_completa.pdf

Actividade Exploratória Tema 1

ACTIVIDADE EXPLORATÓRIA DO TEMA 1

A) Uso de Ferramentas de Apoio ao Trabalho na U.C. o Blogue e o Glossário
Criar o Blogue: Para efectuar a actividade formativa deverá em primeiro lugar, criar um Blogue. Siga todos os passos descritos no texto: Como criar um Blogue.. Caso tenha alguma dúvida ou problema, coloque uma mensagem no Fórum de Ajuda- com o título Ajuda para criar Blogue).
1. Em seguida coloque no Fórum dos Estudantes o nome que deu ao Blogue, o endereço do seu Blogue para que a docente o possa ler.


2. Salientar que a reflexão sobre estas questões deve ser partilhada e discutida no fórum.
B. Desenvolvimento de Metodologias de trabalho adequadas à u.c.
1. Analise a sua experiência enquanto estudante ao longo da sua vida. Descreva o modo como:

a) concebe o processo de aprendizagem;

Ao longo da minha vida escolar a minha aprendizagem foi feita dentro de uma sala de aulas onde o professor transmitia a matéria curricular, complementada com os livros de casa disciplina, com os trabalhos individuais ou em grupo, etc. Neste momento derivado à falta de tempo e ao crer ter um curso superior enveredei pela universidade aberta, com o sistema à distancia e-learning.
b) Organiza habitualmente o seu estudo;

Habitualmente organizo o meu estudo.
Inicialmente leio as instruções dadas pelo professor, em seguida leio os textos de apoio, faço as actividades formativas e quando não entendo alguma coisa recorro ao fórum de dúvidas e peço ajuda aos meus colegas e professor.


c) Concebe o processo de avaliação das aprendizagens;
Através das fichas, das actividades formativas

d) Concebe o papel de aluno e de professor.

Acho que ambos são importantes neste processo de aprendizagem.
Ambos aprendem um com o outro.

2. Analise as suas formas de trabalho. Enuncie as regras que utiliza para elaborar:
a) um resumo;

1 – Fazer uma leitura do texto;
2 – Sublinhar palavras-chaves para a base do resumo;
3 – Fazer o resumo por parágrafos tendo em conta as palavras-chaves;
4 – Releio o meu texto verificando se tudo esta claro e perceptível;
5 – Ao reler verificar se os conceitos estão de acordo com a opinião do autor e não com comentários pessoais

Também encontrei na internet um link muito interessante sobre os resumos que queria partilhar com todos que é: http://comunicare2009.blogspot.com/2009/05/como-fazer-um-resumo.html
.
b) uma ficha de leitura;
Ao mesmo tempo que vou fazendo a ficha de leitura vou analisando com os textos fornecidos.

c) uma bibliografia;

Quando coloco a bibliografia tenho em atenção colocar o Autor, O Título, O Local onde foi editado; A Editora; A Data da Edição;

d) uma citação/referência bibliográfica;
Coloco entre aspas no texto e no final na bibliografia

e) uma pesquisa na Internet.

Coloco as palavras-chaves daquilo que procuro,

C. Ideias sobre o desenvolvimento humano

1. Refira três ideias do senso comum que sejam incorrectas sobre as características do desenvolvimento humano. Explique as razões pelas quais essas ideias são consideradas inadequadas.



2. Faça uma pesquisa sobre alguns conceitos muito importantes da psicologia do desenvolvimento. Vá à ferramenta Glossário e introduza esses conceitos.


* Antropologia Cognitiva
A Antropologia Cognitiva, citada por Perrenoud, é um campo
teórico-conceitual com ênfase especial no entendimento da
estrutura de significação que membros de uma sociedade utilizam
para construir a vida quotidiana, os significados compartilhados que
fazem a vida social possível, bem como os métodos válidos que
auxiliam o pesquisador a descobrir essas significações e avaliar o
grau em que elas são compartilhadas e distribuídas em relação a
factores sociais.
A antropologia cognitiva amplia o horizonte de estudos do
pensamento humano de uma forma bastante peculiar. Busca
entender as variações de pensamento e manifestações
comportamentais em diferentes culturas.

http://tudosobre.com/concursos/res2803/80%20CONCEITOS%20IMPORTANTES%20NA%20PRESTA%C3%87%C3%83O%20DE%20CONCURSOS.pdf

* Behaviorismo
O Behaviorismo (behavior, em inglês, comportamento) se trata de
uma corrente técnico-teórica da Psicologia. Teve origem com o
lançamento, em 1913, do manifesto “A Psicologia tal como a vê
um Behaviorista”, de John B. Watson. Ele afirmava que a Psicologia
deveria ser redefinida como estudo do comportamento,
ou uma filosofia de uma ciência do comportamento que estuda a
relação entre comportamento e ambiente. Nesse estudo, que
começou com a observação de animais, é verificado o
comportamento de um indivíduo em ambientes cuidadosamente
controlados, oferecendo uma alternativa para o estudo do
comportamento humano.
Mais tarde, Skinner desenvolveu o conceito de condicionamento
operante, no qual o animal que estava sob observação era
premiado após realizar um determinado comportamento almejado,
sendo reforçado com um prémio. Skinner ainda desenvolveu uma
10
máquina de ensino, onde se aprendia paulatinamente,
encontrando-se as respostas que levavam ao prémio imediato.

http://tudosobre.com/concursos/res2803/80%20CONCEITOS%20IMPORTANTES%20NA%20PRESTA%C3%87%C3%83O%20DE%20CONCURSOS.pdf


3. Para a construção de uma biblioteca de recursos da turma nesta unidade curricular, dê o seu contributo com a referência de uma obra, científica ou literária, um artigo, um texto (científico, literário, poético, dramático, jornalístico), uma obra de arte (pintura, escultura, fotografia), um filme, uma série (científica ou ficcional), ou outro material que considere interessante.

AXN

4. Elabore uma entrada no seu Blogue em que explique o contributo da psicologia do desenvolvimento para o seu trabalho como técnico de educação.
A psicologia do desenvolvimento vai ajudar-nos a entender a varias mudanças de comportamento dos vários indivíduos em cada idade da sua vida e todas as consequências envolventes para a formação da sua identidade.
Desta forma o técnico de educação vai verificar a forma e o desenvolvimento do aluno aplicando assim varias teorias do desenvolvimento humano.